Presos de Resende Costa produzem tapetes, peças de madeira e fabricam blocos para calçamento
Polícia

Presos de Resende Costa produzem tapetes, peças de madeira e fabricam blocos para calçamento

Presos de Resende Costa produzem tapetes, peças de madeira e fabricam blocos para calçamento

Renda gerada com a venda das peças artesanais ajuda no orçamento das famílias

imagem de destaque
Cada detento tem o seu tear, um equipamento feito de madeira com o qual é possível fazer tecidos e peças de diferentes espessuras

Detentos do Presídio de Resende Costa, na região de Campo das Vertentes, trabalham com a fabricação de tapetes e cortinas de tear, de bloquetes de concreto e de móveis e brinquedos de madeira. Além de gerar renda, as atividades contam para a remição de pena e para a profissionalização dessas pessoas, que podem pensar em um futuro diferente, distante de presídios e penitenciárias.

Semanalmente, oitos presos confeccionam cerca de 600 tapetes, cortinas e colchas, que trazem renda de R$ 400 a R$ 500 para cada um. A mãe de um dos detentos é responsável por comprar os insumos, vender as peças, e realizar o controle e a entrega do faturamento para os familiares.

Cada detento tem o seu tear, um equipamento feito de madeira com o qual é possível fazer tecidos e peças de diferentes espessuras. Os equipamentos foram fabricados pelos próprios presos, na marcenaria do presídio. Moisés José da Silva aprendeu a tecer na unidade prisional e hoje ensina para os novatos na oficina. Ele pretende expandir a arte de tecer na região de Resende Costa. “Tenho um projeto de fabricar tapetes, colchas e cortinas com a minha família”, conta.

Para o diretor-geral da unidade, Francisco Wagner de Sousa, as três atividades estimulam os laços familiares e valores como responsabilidade, esperança e cidadania. “Estamos empenhados no processo de ressocialização dos detentos. Os parentes ajudam e recebem um retorno pelo trabalho feito na unidade e, os moradores do município, com a pavimentação de ruas”, enfatiza.

Divulgação / Sejusp

Peças de madeira

A produção e a venda de brinquedos e móveis da marcenaria também são outra fonte de renda para as famílias dos presos. Os detentos fazem cadeiras, mesas, armários, carrinhos, aviões e outros pequenos brinquedos para serem vendidos em Resende Costa, conhecida como a Cidade do Artesanato.

Fábrica

A fábrica de bloquetes funciona por meio de uma parceria firmada entre o presídio e a prefeitura da cidade, em 2016. As máquinas — duas betoneiras e duas bancas vibratórias — são do município que fornece também o cimento. Até hoje, foram produzidos cerca de 500 mil bloquetes e mais de 50 ruas receberam pavimentação.

Divulgação / Sejusp

Coordenador de produção da fábrica, Jonas Leonardo Pinto acompanha as atividades dos presos desde o início. “Entramos com toda a estrutura e o presídio com a mão de obra, o que é vantajoso para a cidade e para os detentos. Eles são profissionais dedicados e sempre conseguem atingir as metas”, destaca.

Atualmente, oito presos atuam na fábrica, produzindo 800 a 900 peças por dia. Antes da pandemia, 18 detentos trabalhavam no local, fazendo cerca de 1,6 mil bloquetes. Em troca, eles recebem remição de pena: para cada três dias de trabalho um é reduzido da condenação.

Polícia

Mais notícias da Categoria Polícia

Polícia Federal deflagra operação para investigar fraudes no INSS

Polícia Federal deflagra operação para investigar fraudes no INSS

Portal Uberaba 07/07/2020
Polícia Militar vai orientar população sobre importância de medidas preventivas contra o coronavírus

Polícia Militar vai orientar população sobre importância de medidas preventivas contra o coronavírus

Portal Uberaba 25/06/2020
GM atendeu mais de 1.800 chamados no tridígito 153 em junho

GM atendeu mais de 1.800 chamados no tridígito 153 em junho

Portal Uberaba 25/06/2020
Fabricio Queiroz é preso em Atibaia, interior de São Paulo

Fabricio Queiroz é preso em Atibaia, interior de São Paulo

Portal Uberaba 18/06/2020
Governo lança programa MG Mulher, que conta com app de suporte às vítimas de violência doméstica

Governo lança programa MG Mulher, que conta com app de suporte às vítimas de violência doméstica

Portal Uberaba 10/03/2020
Carnaval tem 27,6% de redução nos crimes violentos e aumento do uso de tecnologias

Carnaval tem 27,6% de redução nos crimes violentos e aumento do uso de tecnologias

Portal Uberaba 03/03/2020